Após péssima repercussão, prefeito de Niterói adia votação de projeto que enviou à Câmara criando ‘carro da multa’

Cidades Editoria Destaques (4 posts pequenos) Home

Após a péssima repercussão às vésperas das eleições, o prefeito de Niterói, Axel Grael, pediu de volta à Câmara Municipal o PL 98/24, que institui o famigerado “carro da multa”. Equipado com múltiplas câmeras que permitiriam fiscalizar o uso irregular do estacionamento rotativo da cidade, o veículo em questão tem sido alvo de críticas não apenas de motoristas, mas também de guardadores legalizados, por colocar seus empregos em risco.

O Projeto que  “autoriza o município, através da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, a criar e gerenciar a modernização do Sistema de estacionamento rotativo”, abrindo caminho para a adoção do “carro da multa”, foi devolvido ao prefeito no último dia 5 sob a alegação de que passará por adequações. Nos corredores do Poder, porém, dizem que só deverá retornar ao Legislativo depois das eleições, sem muita alteração.

O projeto foi enviado à Câmara em maio passado e já havia recebido parecer favorável da Comissão de Constituição e Justiça e 12 emendas dos vereadores. Tudo indicava que seria aprovado sem muitas dificuldades, já que o governo detém ampla maioria na Casa.

Em  junho, um carro não caracterizado e com múltiplas câmeras acopladas foi visto em Icaraí, circulando mesmo antes da regulamentação. Na ocasião a Niterói Rotativo, que administra as vagas, negou que o veículo fosse da empresa, mas estranhamente o incidente ocorreu logo após o prefeito enviar à Câmara o projeto de lei tratando do assunto.

Em Niterói o motorista paga R$ 5 pelo período de 2h no estacionamento rotativo das ruas da cidade. Valor considerado exorbitante pelos motoristas, visto que na capital, do outro lado da poça, o custo sai por menos da metade e pelo dobro do tempo.

  • imagem: Reprodução/Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *