Eduardo Paes, PT e seus aliados encontram resistência de evangélicos no Rio

Editoria Destaques (4 posts pequenos) Home Política

Enquanto do lado de lá da poça, em cidades como Niterói e São Gonçalo, a esquerda vem tentando se aproximar de algumas lideranças da Assembleia de Deus e de outras igrejas em busca do voto evangélico, do lado de cá, no Rio, parece não haver muito espaço para o PT e seus partidos aliados.

Pelo menos é o que avalia o pastor Nilson O Abençoado, uma das apostas do PL para formar a base de apoio do Delegado Ramagem na Câmara do Rio. Neste fim de semana, ele participou na cidade de Vassouras de um evento da Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado (CONFRADERJ) ao lado do subsecretário de  governo do Estado, Eduardo Feital.

Para  quem não lembra, antes de assumir o cargo na poderosa pasta, Feital foi exonerado da presidência da Rioluz por Eduardo Paes (PSD). A exoneração aconteceu após o União Brasil, que o havia indicado para o cargo, resolver lançar o deputado estadual Rodrigo Amorim como pré-candidato à Prefeitura do Rio, desagradando o alcaide.

As pré-candidaturas de Ramagem e Amorim mostram que Paes encontra-se de certa forma cada vez mais isolado no colo de Lula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *